BMW Série 1 deve abandonar tração traseira

Terceira geração do hatch chegará no começo de 2019, segundo revista britânica

revista britânica Auto Express publicou uma projeção e reuniu informações apontando como será a terceira geração do BMW Série 1, que deve ser apresentada no fim de 2018, com lançamento no começo de 2019.

A publicação destaca como principal novidade algo que já era sabido, para decepção dos fãs mais puristas da marca alemã: o hatch médio deixará de ser produzido com tração traseira e adotará a tração dianteira como padrão, a exemplo do que aconteceu com a segunda geração do SUV X1 – os dois modelos compartilham a plataforma UKL, também usada nos carros da MINI. Com isso, o Série 1 perderá a característica que o tornava praticamente único em seu segmento, onde a tração dianteira é padrão. Basta ver os exemplos de Volkswagen Golf, Audi A3, Ford Focus e Mercedes-Benz Classe A.

A mudança, no caso do Série 1, tem o objetivo de deixar o hatch mais prático, com mais espaço interno, especialmente no porta-malas e no banco traseiro, uma vez que o carro não vai mais trazer o túnel central, necessário para acomodar o eixo cardã que leva o torque do motor dianteiro para as rodas traseiras. Por falar em motor, esqueça os seis cilindros em linha das versões de topo do Série 1 atual. Na nova safra, segundo a revista, todas as configurações virão com motores de quatro cilindros turbo, como já acontece no rival Classe A.

Com isso, o que era impensável em um BMW há poucos anos já nem mais é novidade, considerando toda a gama de modelos da montadora. A minivan Série 2 Active Tourer já conta com tração dianteira, depois foi a vez do X1 e em breve chegará a hora do Série 1. Tudo em nome da praticidade.

Segundo as projeções, o Série 1 de terceira geração não terá um desenho muito diferente do modelo atual, com carroceria ligeiramente mais alta e larga. Apesar do marginal crescimento em tamanho, o hatch vai exibir linhas mais esguias.

Quem sentir falta da tração traseira terá nas versões mais caras a opção de tração integral permanente e gerenciada eletronicamente xDrive, como acontece no X1. Resta saber se a mudança vai afastar os fãs tradicionais do Série 1 e, como a BMW pretende, se irá trazer um novo perfil de cliente para o hatch alemão.

 

fonte https://goo.gl/FxiTNZ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *